Tecnologia israelense transforma dejetos animais em fertilizantes inodoros

Uma empresa israelense desenvolveu uma forma barata de converter dejetos animais em um fertilizante orgânico, rico em potássio e livre de patógenos e odores. Trata-se da Paulee CleanTec, que recentemente patenteou a tecnologia que viabiliza o manejo sustentável de restos expelidos por humanos e animais.

Um projeto-piloto para a solução está presentemente sendo implementada em uma fazenda de laticínios de um kibutz em Israel.

De acordo com o CEO da empresa, Ilan Levy, é possível converter meia tonelada de esterco fresco no fertilizante inodoro em apenas uma hora. Ressalta que trezentas vacas leiteiras produzem uma tonelada de dejetos líquidos por hora, o que equivale ao esgoto de uma cidade com 40,000 habitantes. Conforme pesquisa feita nos Estados Unidos, fazendas geram anualmente 100 vezes mais esterco do que o esgoto processado em estações de tratamento.

Em todo o globo, centenas de milhões de toneladas de dejetos animais impropriamente tratados são descarregados em corpos d’água ou absorvidos no solo, contaminando lavouras e água potável com salmonela, E.coli e outros coliformes fecais.

“Quando grande quantidade de lixo é produzida em uma área concentrada, não existe forma segura e financeiramente viável de se livrar disso”, disse Levy, consignando que “o problema nunca acabará se a produção agricultural, granjeira, e de leite continuarem a depender do confinamento animal”.

Isto porque, animais soltam dejetos o ano todo, que pode apenas ser aplicado aos campos durante algumas estações. Isso significa que qualquer fazenda, seja de porcos, vacas ou frango, precisa armazenar esterco. Em alguns países europeus, isto significa que fazendeiros precisam ter a capacidade de armazenar o equivalente a nove meses de resíduos.

A solução funciona não apenas para fazendas, mas também torres residenciais, aeronaves, navios de cruzeiro e mais, convertendo todos os restos fedidos guardados em tanques durante voos extensos, encanamentos e viagens de diversos dias.

Conforme explicou ainda o Professor Oded Shoseyov da Hebrew University, “quando misturamos odorizadores fortes com as fezes, isto gera energia e calor. Isso imediatamente neutraliza o cheiro – e em adição, esteriliza as fezes devido à alta temperatura”.

Fonte: The Jerusalem Post