As 27 start-ups israelenses mais quentes de 2015

A movimentada cena de start-ups israelenses tem se mostrado ainda mais aquecida ultimamente.

2015 quebrou todos os recordes em investimentos de venture capital. A avaliação de empresas jovens alcançou níveis altíssimos, e os fundos de investimento em participação têm chegado em massa, assim como os investidores chineses.

Tudo isso se soma a uma comunidade tecnológica muito saudável, transbordando de inovações.

Recentemente visitamos Israel e conhecemos muitas, muitas pessoas da indústria de tecnologia e perguntamos a elas: quais start-ups vocês estão acompanhando de perto?

Entre as dezenas de start-ups mencionadas e muitas outras com as quais estivemos em contato, aqui estão as que achamos mais interessantes, por diversos motivos: crescimento, produtos, missão e/ou pedigree dos fundadores.

OurCrowd: reinventando o mundo do capital de risco

A OurCrowd é uma start-up que ajuda pessoas comuns de classe média alta (médicos, advogados, empresários) a investir em start-ups do mesmo jeito que investem os principais investidores de venture capital.

Hoje, as empresas de tecnologia crescem e se tornam empresas multibilionárias, enquanto continuam privadas. Com o financiamento coletivo de seu fundo de investimento, a OurCrowd ajuda mais investidores a atravessar aquela fase inicial de geração de capital.

A start-up é criação do grande Jon Medved, conhecido como um dos fundadores da cena israelense de start-ups.

IronSource: descoberta e monetização de aplicativos

A IronSource ajuda desenvolvedores mobile a anunciar, encontrar clientes e adicionar publicidade aos seus aplicativos.

A empresa é um dos unicórnios de Israel, com valor estimado acima de US$ 1 bilhão, após levantar US$ 105 milhões em fevereiro. A start-up emprega 550 pessoas, gera “centenas de milhões” de renda e tem meio bilhão de usuários ao mês, informou Tomer Bar Zeev, fundador e CEO da IronSource.

Bar Zeev tem uma filosofia única de gestão. Ele gosta de adquirir empresas e depois transformar seus fundadores em cofundadores da IronSource. A IronSource tem, então, 8 fundadores e a contagem não para.

No início dessa semana, ele comprou outra empresa, a Supersonic, somando mais 250 funcionários e alguns novos fundadores.

SimilarWeb: avaliando sites e aplicativos

A SimilarWeb é outra empresa de destaque. Sua missão é ultrapassar o Alexa como o serviço mais popular de análise de tráfego web.

Foi fundada pelo carismático CEO Or Offer, um geek de computador que criou a SimilarWeb para pesquisar sobre seus concorrentes enquanto tocava um negócio de joias.

Há alguns anos, ele deixou a área de joias para focar na SimilarWeb, e sua empresa cresceu exponencialmente. No ano passado, a empresa passou de 60 funcionários para 200 e está contratando mais cerca de 20 pessoas ao mês em Nova York e Israel.

A SimilarWeb tem o apoio do gigantesco conglomerado africano de investimentos voltados para a Internet, o Naspers.

Zutalabs: uma impressora caminhante e queridinha do Kickstarter

 Zuta Labs faz uma impressora pequena como a palma da mão. É só colocá-la em um pedaço de papel e ela se movimenta por ele imprimindo palavras.

O dispositivo viralizou na plataforma Kickstarter no ano passado, arrecadando US$ 500 mil, e vem, desde então, levantando valores não revelados de investidores de venture capital, afirma o CEO da empresa, Tuvia Elbaum. A impressora também venceu o Prêmio de Melhor Inovação na CES 2015.

A start-up tem agora 11 funcionários, e o dispositivo está sendo vendido por pedidos on-line. Em 2016, a impressora estará à venda “em uma das maiores lojas do mundo, mas ainda não posso contar nada sobre isso”, disse Elbaum.

TestFairy: testes para aplicativos com feedback em vídeo

A  TestFairy ajuda empresas mobile a testar seus aplicativos enviando aos desenvolvedores vídeos que mostram exatamente o que aconteceu no aplicativo durante o teste.

A empresa oferece serviços gratuitos para desenvolvedores independentes e serviços pagos para empresas, tendo recentemente recebido investimento da 500 Startups.

Os desenvolvedores amam a ideia. A empresa tem mais de 10 mil desenvolvedores cadastrados e foi convidada pelo Google para participar do evento de start-ups Launchpad no último Google I/O.

StoreDot: baterias de carga rápida para smartphones e veículos elétricos

A StoreDot inventou uma tecnologia que carregará baterias quase instantaneamente.

A ideia levantou US$ 18 milhões de apoiadores, como o bilionário russo Roman Abramovich, e empresas da Samsung. A StoreDot está atualmente construindo um protótipo da primeira bateria de carro de carregamento instantâneo.

Conforme declaração, a empresa tem 47 funcionários e chegará a 60 até o final de 2015.

Ravello Systems: laboratórios de teste e desenvolvimento na nuvem do Google e da Amazon

Muitas empresas estão usando a tecnologia em nuvem para seus laboratórios de teste e desenvolvimento, sendo essa a forma com que testam novas tecnologias e aplicativos para ter a certeza de que nada vai dar errado.

A  Ravello Systems tem parceria com a Amazon, com o Google e com a VMware para que seja mais fácil para as empresas configurarem esses testes de laboratório em suas nuvens.

A Ravello tem 70 funcionários em Israel e nos Estados Unidos, “milhares de usuários ativos” e arrecadou até hoje US$ 54 milhões, afirma a empresa.

CheckMarx: fazendo códigos de computador mais seguros

 A CheckMarx resolve um grande problema para os desenvolvedores de aplicativos, certificando-se de que seus códigos não apresentem bugs de segurança.

O sistema também pode bloquear ataques em tempo real e restaurar o código.

A CheckMarx é outra empresa unicórnio.

Ela arrecadou US$ 84 milhões em junho (US$ 92 milhões no total, incluindo os investimentos da Salesforce) e tem 130 funcionários em escritórios espalhados pelo mundo, incluindo Israel, Reino Unido, Índia e Cingapura.

Glide: áudio e mensagem de vídeo ao vivo

 Glide criou um aplicativo que permite o envio superrápido de áudio ou mensagens de vídeo. Tão rápido que a pessoa pode ouvir sua mensagem antes mesmo de você fazer o envio.

A Glide atravessa a barreira entre o bate-papo ao vivo e as mensagens off-line. E já está até no Apple Watch.

Atuando há três anos, a Glide tem 65 funcionários, arrecadou mais de US$ 28 milhões e conta com aproximadamente 20 milhões de usuários no mundo todo.

Lightricks: edição profissional de fotos no seu iPhone

 A Lightricks faz um aplicativo para edição de foto para smartphones que já é bem popular, o Facetune, membro permanente da lista de aplicativos mais vendidos da App Store.

A empresa tem 4,5 milhões de clientes, incluindo Kim Kardashian, que usa o aplicativo para retocar suas selfies e outras fotos de rostos.

Sua equipe de fundadores PhD inventou mais do que apenas um aplicativo: eles criaram uma ferramenta gráfica que ajuda a câmera a funcionar melhor. E a empresa tem seu próprio tempero secreto, um software de publicidade mobile utilizado só por eles, que contribui para que o aplicativo fique na lista dos mais vendidos.

A Lightricks é parceira do Facebook, usando anúncios mobile na rede social para atrair clientes. Embora lucrativa, a empresa arrecadou apenas US$ 10 milhões em investimentos para crescer mais rápido.

Stratoscale: transformando centrais de dados em nuvens

A Stratoscale é uma start-up em total ascensão nesta nova área comercial chamada “computação hiperconvergente”.

Ela faz um sistema operacional que pega servidores simples e armazenamento em computador e transforma tudo isso em uma grande piscina, que pode compartilhar dados como se estivessem todos em uma única máquina gigante.

É a forma mais recente com que as empresas estão tornando suas centrais de dados mais eficientes para lidar com um número sempre crescente de dados e aplicativos.

A Stratoscale tem grandes concorrentes nessa área, desde a peso pesado VMware, passando pela Nutanix e chegando na popular OpenStack.

Mas ela é competitiva: tem como apoiadores a Intel, a Cisco e outros grandes nomes do venture capital, que já investiram US$ 42 milhões.

Fitness22: aplicativos de iPhone para o treino

 A Fitness22 faz mais ou menos uma dúzia de aplicativos fitness pagos, que custam de US$ 2 a US$ 25, e angariou muitos seguidores, praticamente sem marketing.

Conhecida como ClearSkyApps, a empresa teve 30 milhões de downloads até agora, todos em iOS, e está gerando “milhões de dólares ao ano”, contou Benny Shaviv, CEO e fundador.

O aplicativo mais famoso da empresa se chama 5K Runner. Ele treina o usuário para correr uma maratona de 5 km em 8 semanas.

A empresa vem sendo vista por muitos como um exemplo de como construir um aplicativo pago de sucesso.

Umoove: software que identifica os olhos 

A Umoove criou um software que identifica o rosto e os olhos para uso em qualquer dispositivo mobile. Não é necessário utilizar nenhum hardware extra. Basta olhar para o dispositivo para controlá-lo.

Ele pode ser usado para tudo, de diagnósticos médicos identificando os movimentos dos olhos a controles motion para jogos.

A Umoove ainda é muito pequena. Ela arrecadou US$ 3,4 milhões e tem 14 funcionários, conta o CEO da empresa, Yitzi Kempinski.

Mas as pessoas estão falando dela em Israel, e com os maiores players de tecnologia como a Apple, a Microsoft, Intel, Amazon e o Google com grandes escritórios em Israel, a Umoove certamente está no radar.

CoroNet: evitando que hackers ‘sequestrem’ você 

Já usou a rede wi-fi em um hotel ou restaurante? Um hacker pode se infiltrar em seu computador assim, sequestrando seu sinal de wi-fi. Ele também pode criar um sinal falso de celular.

Esse tipo de ataque se chama ‘sequestro’ de dispositivos ou ‘comjacking’ e pode ser usado para transformar seu smartphone ou computador em um dispositivo espião.

A CoroNet detecta e bloqueia esses ataques. O sistema é vendido a empresas para proteger telefones empresariais ou a operadoras para proteger os sinais de celular.

Esse tipo de ataque é tão comum que houve uma vez em que Drior Liwer, Diretor Técnico da CoroNet, estava conversando com sua equipe usando a rede wi-fi de um hotel e seu sinal foi ‘sequestrado’, disse ele.

Felizmente, ele tinha CoroNet, que o alertou.

Webydo: sites bonitos sem codificação

Existem muitos serviços de site que são do tipo ‘faça você mesmo’ e todos eles criam sites simples e normais.

Se você é um artista ou designer, não pode se contentar com isso, muito menos usar algo assim com seus clientes.

A Webydo permite que artistas e designers criem sites bem sofisticados sem saber nada de codificação.

A ideia ficou popular, e a empresa conta hoje com mais de 60 funcionários e alcançou a marca dos 190 mil usuários, tendo arrecadado US$ 13 milhões.

Plarium: jogos on-line para gamers hard-core

 Você pode ser um gamer totalmente viciado mesmo sem ter um Xbox ou um PlayStation. A Plarium faz social games para mobile e navegador que são jogados por mais de 130 milhões de pessoas no mundo todo, tal como o Total Domination Reborn.

Os jogos são gratuitos, mas os jogadores precisam pagar por poderes especiais ou outros benefícios que representem algum tipo de vantagem. Um jogador sério pode gastar US$ 70 por mês com a Plarium, afirmou o porta-voz da empresa. E justamente por isso a empresa nunca buscou fundos de venture capital.

Ela cresceu para 800 funcionários no mundo (150 em Israel) sem qualquer apoio externo.

É um negócio familiar. São sete cofundadores, sendo quatro deles irmãos gêmeos idênticos, uma irmã e um primo.

AngelSense: cuidando da segurança de crianças com necessidades especiais

O AngelSense é um dispositivo de monitoramento e um aplicativo para crianças com necessidades especiais.

Ele nasceu da necessidade do cofundador Doron Somer em fazer mais do que apenas contar com sistemas de GPS para seu filho autista. Ele queria mais dados e mais possibilidades para saber o que estava acontecendo com seu filho, algo muito além de um pontinho por GPS no mapa, contou ele.

O sistema já teve um grande êxito ao salvar uma criança autista no Texas. A menina estava sendo abusada por um motorista de ônibus. O dispositivo alertou a mãe quando a filha não estava onde ela deveria estar. A mãe, então, acionou o microfone, ouviu a situação e descobriu o que estava acontecendo.

Além disso, toda a equipe da AngelSense é formada por pais (mães, na grande maioria) de crianças com necessidades especiais, disse Somer.

Essas pessoas geralmente têm dificuldade em encontrar trabalhos flexíveis compatíveis com as exigências de sua vida familiar e são elas que dão todo o apoio aos clientes da AngelSense.

Deeplink.me: links URL em aplicativos mobile

 A Deeplink.me permite que desenvolvedores de aplicativos mobile criem um URL para uma parte do aplicativo e façam o link com outros lugares na web, como, por exemplo, com um Tweet.

Embora seja uma empresa com apenas sete pessoas, ela conta com alguns usuários de renome, como Shazam, DraftKings, Urban Outfitters e Fox Sports. A empresa também recentemente lançou o AppWords, um serviço que encontra outros aplicativos com base em links profundos.

“Acreditamos que este é o futuro da busca mobile: antecipativa, com links profundos, algo que permita que o conteúdo ache você”, disse o CEO e cofundador, Itamar Weisbrod.

Fairfly: economizando dinheiro depois de comprar o bilhete

 A maioria das pessoas desiste da busca por promoções de passagens aéreas depois de efetuar a compra. Se os preços caem, talvez essas pessoas nem fiquem sabendo.

A Fairfly acompanha esses preços para você e, se esses valores caírem o suficiente para cobrir a taxa de alteração da reserva, a empresa faz a alteração para o mesmo voo.

A Fairfly tem o apoio do cofundador da Waze, Uri Levine, que adora lançar start-ups que ajudam as pessoas a economizar dinheiro.

“As pessoas pagam US$ 100 bilhões a mais todos os anos por não acompanharem os preços depois que compram uma passagem”, disse Levine.

Mapme: criando mapas legais on-line sem codificação

A Mapme permite que qualquer pessoa faça um mapa especial, sem a necessidade de codificação.

Basta fazer o upload dos dados dos lugares que você deseja marcar no mapa ou, ainda melhor, abrir o mapa para uma comunidade toda para que os dados sejam inseridos coletivamente.

Entre os exemplos de Mapme estão: um mapa global de húmus, com indicação dos lugares com os melhores húmus do mundo, e um mapa com as start-ups de Londres.

A Mapme é a criação do jovem de 21 anos Ben Lang. Originalmente, a ferramenta foi criada para que ele mesmo pudesse fazer um mapa de todas as start-ups de Israel. Ben logo percebeu que a ideia poderia ser usada para muito mais.

Hoje, a Mapme está disponível em mais de 30 países.

Rep’nup: limpando sua imagem on-line

Todos gostamos de publicar nossas fotos engraçadas de festa no Facebook ou compartilhar um discurso no Twitter.

Mas se você está procurando emprego, informações em excesso podem atrapalhar.

Aí é que entra a Rep’nup. Trata-se de um serviço que escaneia suas contas em redes sociais, encontra fotos comprometedoras e ajuda você a eliminá-las ou escondê-las.

Tecnicamente falando, será que é muito difícil para um computador saber diferenciar que uma foto de você bebendo um suco de laranja está OK, mas uma imagem de você engolindo uma chave de fenda não é legal? Talvez não, disse o CEO Lior Tal.

Isso porque os fundadores da empresa são cientistas e especialistas em ‘visão de máquina’, área em que os computadores aprendem a entender uma foto.

E essa é a terceira start-up de Tal, que foi cofundador da empresa de segurança de bases de dados Guardium, adquirida pela IBM por US$ 225 milhões, e da Insightix, comprada pela McAfee.

Playbuzz: jogos de Internet e virais

 A Playbuzz, lançada há menos de dois anos, é uma sensação na Internet.

A rede permite que qualquer pessoa crie jogos virais e listas para a Internet, o tipo de coisa que as pessoas gostam de compartilhar no Facebook.

A Playbuzz tem hoje 94 milhões de usuários, já arrecadou US$ 21 milhões em fundos de venture capital e tem 80 funcionários.

Payoneer: pagamentos sem fronteiras

 Então, você encontrou uma ótima freelancer no exterior, mas, quando ela envia a fatura, você leva um choque: ela quer ser paga na moeda local do país dela, mas seu sistema contábil não está configurado para isso.

Esse é o problema que a Payoneer resolve para milhões de empresários e profissionais em mais de 200 países. Ela oferece pagamentos sem fronteiras.

A Payoneer foi fundada em Israel, mas agora tem sua sede em Nova York. Ela arrecadou US$ 90 milhões, incluindo os recentes US$ 50 milhões recebidos em agosto, e emprega 500 pessoas no mundo todo.

Showbox: ficou fácil criar vídeos profissionais

Quer ser uma estrela do YouTube? Você vai criar vídeos profissionais com efeitos legais, mas talvez tenha que ajeitar alguns problemas de áudio. Além disso, talvez você precise de direitos e permissões para utilizar vídeos e imagens de outros vídeos.

A Showbox faz tudo isso para você – e de graça. É por isso que a Showbox é usada por celebridades e blogueiros, como Perez Hilton. A Showbox é hoje a ferramenta utilizada por 2000 estrelas do YouTube, que ajudam a empresa a continuar se aprimorando.

Mas a Showbox ainda está na versão beta e não permite que qualquer pessoa utilize suas funcionalidades. Em agosto, a lista de espera ultrapassava as 50 mil pessoas (e o número não para de subir).

A empresa arrecadou US$ 8,6 milhões em capital semente de alguns grandes nomes, como Bradley Wechsler, presidente da iMAX, Carl Peterson, responsável de investimentos em mídia da TPG (dinheiro particular dele) e Charles Petrocelli, ex-presidente da American Express Travel.

Docady: guardando seus documentos mais importantes

O mundo é digital, mas você ainda tem muitos documentos em papel, como certidão de nascimento, carteira de motorista e apólices de seguro.

Basta tirar uma foto desses documentos que a Docady  guarda todos eles em segurança para você em um sistema em nuvem ou no Dropbox ou Google ou Microsoft OneDrive.

Em breve, esse serviço vai fazer mais do que só armazenar os seus documentos. Ele vai ajudar você a lembrar de coisas que precisam ser feitas, como, por exemplo, renovar sua carteira de motorista ou atualizar a apólice de seguro, disse Nadav Weizmann, cofundador e Diretor Técnico da Docady.

Evolero: sites para organizadores de eventos

O Evolero  é um site que pode ser utilizado por organizadores de eventos para criar o site de seu evento. Ele faz tudo, do registro ao contato com o participante.

Lançado em 2014 e ainda agora com apenas oito funcionários, o site vem alcançando um sucesso enorme.

Ele foi usado para organizar mais de mil eventos, com mais de 100 mil participantes por empresas como a Microsoft, WeWork, AOL, Intel, E&Y, TedMed e Tedx, afirma o CEO da empresa, Tal Shoham. A empresa é o resultado do programa de Aceleradoras Israelenses da Microsoft.

YotPo: clientes reais com avaliações verdadeiras 

A Yotpo ajuda sites de comércio eletrônico a preencher a seção de avaliações com avaliações verdadeiras de clientes reais, sem spam ou lixo publicitário.

O segredo é enviar um e-mail para as pessoas logo depois de terem comprado um produto e facilitar o processo para que elas façam a avaliação em seus smartphones.

Entres seus clientes estão a Staples, GoPro, Sears e outros grandes nomes, tendo o sistema sido usado por mais de 120 mil clientes dessas empresas.

Em junho, a YotPo arrecadou US$ 15 milhões (hoje já tendo chegado aos US$ 30 milhões) e abriu seu segundo escritório, em Nova York.

Fonte: Business Insider