Por que as maiores empresas do mundo querem ficar com uma fatia de Israel?

Dezenas de empresas multinacionais, como a Microsoft, Google e Apple estabeleceram escritórios e centros de P&D na Nação Empreendedora. Por que, exatamente eles querem Israel e o que estão fazendo lá?

É um fato bem conhecido que dois terços de todos os funcionários de P&D trabalham para empresas estrangeiras, tais como HP e Microsoft (Israel Central Bureau of Statistics). Gigantes internacionais como Intel e IBM, estabeleceram-se em Israel por volta dos anos 70 e cresceram exponencialmente empregando milhões de funcionários locais. Atualmente há 250 centros de P&D de empresas de alta tecnologia estrangeiras em Israel (IVC Research Center), gerando grando impacto em toda a economia israelense e suas exportações.

Graças aos centros de P&D de multinacionais, Israel é hoje um centro de patentes. Nos últimos anos, os números de patentes requeridas nos EUA aumentaram 21%, fazendo de israel o terceiro maior país por patentes per capta de acordo com um estudo conduziado por BdiCoface), ficando atrás apenas do Japão e de Taiwan. Entre 2009 e 2013, IBM produziu mais patentes em Israel (674), seguida pela Intel (435), Marvell (281), SanDisk (261) e HP (197).

Mas o que estes giganges estão vislumbrando no pequeno Estado de Israel?

Intel

A Intel estabeleceu seu centro de P&D em Israel cerca de 40 anos atrás e desde então desenvolveu uma série de processadores inovadores, evoluindo além do hardware. Hoje é a maior multinacional de alta tecnologia na Terra Santa com cerca de 10.000 funcionários distribuidos em quatro centros de desenvolvimento e duas fábricas. As exportações da Intel são responsáveis por 9% do total de bens exportados do país.

“Somos muito mais que uma fábrica de chips hoje” Guy Bar-Ner, Diretor de Vendas e Marketing da Intel Israel para a NoCamels. A Intel ainda abriu recentemente um laboratório de IoT (Internet das Coisas) em Israel, que serve de incubadora para startups da área.

IBM

Cerca de 1000 funcionários trabalham nos cinco centros de laboratórios de P&D da IBM em Israel. A empresa ainda lançou um programa de aceleração no ano passado e adquiriu diversas empresas.

O CEO da IBM Israel, Rick Kaplan, disse durante a DLD: “Nós adquirimos 13 empresas aqui, investimos nelas, as fizemos crescer”. Ele explicou que a IBM posiciona seus escritórios “onde o talento está” e acrescentou que Israel é o escritório nº 2 no ranking de patentes. A IBM Israel também está trabalhando com segurança cibernética.

Google

A Google causou impacto em Israel ao adquirir o aplicativo móvel israelense Waze por USD1.3 bilhões. A empresa tem mais de 500 funcionários em Israel, em dois entros de P&D estabelecidos em 2012. “Israel tornou-se um dos centros de mais rápido crescimento da Google” Yossi Matias, chefe da Google Israel e VP da Google Search para a NoCamels. Ele explica ainda que uma das especialidades da Google Israel é em busca.

Microsoft

O Centro de P&D de Israel da Microsoft é um dos três centros estratégicos globais e abriga as tecnologias mais inovadoras da empresa. Microsoft também opera uma aceleradora e VC de starups chamada Microsoft Ventures.

Nos últimos anos, a Microsoft adquiriu várias empresas israelense, incluindo a Aorato, Equivio, N-tring e Adallom.

Facebook

A renomada rede social comprou diversas startups israeleneses nos últimos anos e, apesar de sua presença ser ainda pequena, com cerca de 40 funcionários que, em sua maioria, estão focados em marketing, o Facebook estar em israel como algo importante para a liderança da empresa, de acordo com Adi Soffer Teeni, CEO do Facebook Israel durante a Conferência DLD.

Apple

A Apple foi uma das últimas empresas a abrirem escritórios em Israel. No início deste ano, inaugurou um centro de P&D em Israel com cerca de 800 funcionários, incluindo funcionários das empresas startups que a Apple adquiriu com o passar dos anos, tais como Anobit e Primesense.

De HP e Marvell até a Amazon, diversas empresas querem uma fatia

Outras empresas multinacionais com presença significativa em israel, inlcuem HP, Cisco, Marvell, EMC2, Broadcom, Amazon e Yahoo. Estas gigantes do mercado procuram por taletos locais, criatividade e talvez possam se beneficiar do “chutzpa” israelense. Em troca, as empresas ganham um time de israelenses ávidos para provar suas habilidades.

Veja também: As 27 start-ups israelenses mais quentes de 2015

Editado por: Missão Econômica de Israel em São Paulo

Fonte: No Camels