Empresas israelenses arrecadaram valor recorde de U$1.44 bilhões em janeiro de 2021

De acordo com novo relatório publicado pela Start-Up Nation Central, empresas israelenses arrecadaram incríveis U$1.44 bilhões apenas em janeiro de 2021, representando a maior quantia de capital arrecadado em apenas um mês durante todo o ano posterior.

Em comparação, durante janeiro de 2020, empresas israelenses arrecadaram U$956 milhões. O segundo maior valor levantado no último ano havia sido em setembro de 2020, quando investidores destinaram U$1.2 bilhões em capital a empresas do país.

O marco foi atingido porque janeiro de 2021 trouxe seis “mega-rodadas” de financiamento, que representam investimentos de U$100 milhões ou mais.

Destacaram-se:

  1. a fintech Melio, que conseguiu U$110 milhões e uma avaliação de U$1.3 bilhões;
  2. a startup de saúde digital K Health, que arrecadou arrecadou U$132 milhões e obteve uma avaliação de U$1.4 bilhões;
  3. DriveNets, que auferiu U$208 milhões em investimentos e uma avaliação de U$1 bilhão;
  4. o provedor de fintech como serviço Rapyd, que recebeu U$300 milhões na série D;
  5. a empresa de serviços em nuvem e recuperação de dados OwnBackup, com investimento de U$167.5 milhões e uma avaliação de U$1.4 bilhões; e,
  6. Resident Home, plataforma de e-commerce israelense baseada nos Estados Unidos da América que arrecadou U$130 milhões.

Este é o maior valor para investimentos de mega-rodada e gerais feitos em um único mês quando se trata de empresas israelenses segundo a Start-Up Nation Central. Ressalte-se que a maioria destes aportes foi feita por investidores norte-americanos.

Em 2020, 21 mega-rodadas foram anunciadas durante todo o ano, equivalendo 33% do capital levantado. No comparativo mês-a-mês, tivemos três mega-rodadas em janeiro de 2020, e nenhuma em janeiro de 2019 ou janeiro de 2018.

Segundo o diretor de pesquisa da Startup National Central (SNC), Meir Valman, “o nível recorde em investimentos em meses recentes se dá por dois fatores. Um é a crescente maturidade do ecosistema tecnológico israelense, onde startups em vertiginoso crescimento conseguem participar de rodadas muito maiores. O outro é o efeito da COVID-19 em companhias israelenses, que conseguem se reinventar rapidamente para se adaptar aos desafios da pandemia, mas também permanecerão relevantes muito após este evento catastrófico”.

Apesar da devastação causada pela pandemia, o ecossistema tecnológico israelense se manteve resiliente em meio à acelerada demanda por tecnologias avançadas nos mercados de software, fintech e de saúde digital.

Fonte: NoCamels