Em meio a pandemia, empresas israelenses de cybersegurança arrecadaram valor recorde de U$2.9 bilhões em 2020

A indústria de cybersegurança israelense vivenciou um crescimento de 70% em investimentos durante 2020, arrecadando um valor recorde de U$2.9 bilhões em 100 transações em meio a pandemia do novo coronavírus que obrigou o mundo a se voltar para atividades totalmente digitais, conforme anunciou o Israel National Cyber Directorate.

No segmento, Israel recebeu 31% dos investimentos globais em 2020, colocando a nação em segundo lugar, atrás apenas dos Estados Unidos da América, segundo o Directorate. Exportações de produtos de cybersegurança em 2020 totalizaram U$6.85 bilhões, versus U$6.5 bilhões em 2019. Ademais, ano passado, vimos mais de 20 aquisições de firmas de cybersegurança israelenses, somando-se em um valor total estimado de U$4,7 bilhões.

Ainda de acordo com o Directorate. cinco empresas israelenses de cybersegurança atingiram o status de unicórnio em 2020. Unicórnios são empresas privadas avaliadas em mais de U$1 bilhão. Estas foram: SnykSentinelOneCato NetworksForter e BigID. De acordo com estes dados, Israel hoje possui 33% dos unicórnios do setor.

“O coronavírus trouxe uma mudança sem precedentes no volume e velocidade de atividades no espaço cibernético”, o que aumenta como consequência o número de ameaças à segurança destes ambientes, exigindo que todos os setores se protejam de acordo, disse Roi Yarom, diretor para economia e crescimento no instituto governamental.

Disse ainda que “o crescimento nas ameaças criou oportunidades adicionais para a indústria cyber israelense, que mais uma vez demonstrou que é uma locomotiva de crescimento nacional, e elemento essencial da resiliência da nação”.

Com a transferência para o mundo digital na pandemia – de compras a negócios tradicionalmente presenciais – hackers descobriram um campo amplo para operar, e incidentes aumentaram exponencialmente neste ano, do phishing a ataques de ransomware, vitimando até hospitais.

O Directorate investe recursos, inclusive na pesquisa acadêmica, para “continuar a girar as rodas da inovação industrial”, nas palavras de Yarom. Estão também trabalhando para melhorar e aumentar o capital humano, criar relacionamentos com países que possuam potencial para oportunidades econômicas, de pesquisa e desenvolvimento para startups e empresas maduras, conectando entidades em Israel e mundo afora com a indústria local.

Fonte: The Times of Israel