Lasers, integração e mobilidade: Israel desenvolve tecnologias para combater ameaça de drones

Com o uso crescente de drones, o número de violações de segurança por drones não identificados em infraestrutura crítica e locais públicos aumentou. Isso estimulou a demanda por contramedidas. As ameaças advém de drones vindo de amadores, grupos antinucleares, concorrentes comerciais e organizações terroristas. Israel, na sua posição de liderança em inovação em segurança tem sido pioneiro nas soluções anti drones.

Recentemente, as Forças de Defesa de Israel têm trabalhado em desenvolver tecnologias que possam derrubar drones que ameaçam entrar no país. No mês de abril, conseguiram se defender de um drone vindo do Líbano e encontraram também um segundo drone pertencente à organização terrorista Hezbollah que foi retirado do ar.

Os EUA e Israel concordaram em estabelecer um grupo de trabalho interagências para dar atenção especial à crescente ameaça de Veículos Aéreos não Tripulados (VANT).

As grandes empresas de defesa de Israel fazem sistemas de aeronaves não tripuladas (sistemas c-UAS) e combinam sua experiência para beneficiar os sistemas de defesa aérea de várias camadas de Israel, como o conhecido Iron Dome – Doma de Ferro. Essas medidas incluem sistemas de defesa aérea usando interceptores contra grandes VANTs, bem como uma infinidade de sistemas contra ameaças menores. A Elbit Systems fabrica o ReDrone, que em 2019 foi colocado em veículos para proteção de comboios. O ReDrone foi lançado em 2016 e pode detectar, identificar, rastrear e neutralizar drones menores.

Na Israel Aerospace Industries -IAI, uma variedade de tecnologias para enfrentar ameaças de drones estão em operação. Yoav Tourgeman, CEO da subsidiária da IAI – Elta Systems, informou que a empresa está agora em sua quarta geração de soluções c-UAS com o Drone Guard. As empresas israelenses geralmente não identificam os clientes e o IAI não especificou neste caso.

Elta incorporou duas soluções hard-kill, uma das quais usa um drone para atacar a ameaça drone; o outro usa a tecnologia Smart Shooter, que é um sistema de controle de tiro montado em um rifle que permite tiros precisos contra drones a até várias centenas de metros.

Recentemente foi publicado que o Iron Dome, que usa interceptores de mísseis e é desenvolvido pela Rafael Advanced Defense Systems, tem novos recursos, observou que pode combater simultaneamente várias ameaças de UAV – o Drone Dome.

Apesar das atualizações, a doutrina do sistema permanece a mesma: ele detecta ameaças de drones e seus sinais a vários quilômetros de distância. O sistema usa uma abordagem de inteligência de sinais ao lado do radar para determinar a localização de um drone e, em seguida, usa a eletro-óptica com sensores infravermelhos para confirmá-la.

Os dados de câmeras e sensores são usados ​​por um algoritmo para pesquisar ameaças de drones. O objetivo é evitar alarmes falsos, como quando pássaros são confundidos com drones, disse a empresa.

O sistema está implantado em mais de 10 países em várias configurações, incluindo o Reino Unido e Cingapura.

A empresa Rafael observou que, embora as ameaças geralmente venham de pequenos quadricópteros, parece haver um uso crescente de VANTs de asa fixa. O Irã usou uma combinação de drones kamikaze de asa fixa e mísseis de cruzeiro para atacar a instalação petrolífera de Abqaiq da Arábia Saudita em 2019.

Rafael também fornece uma solução naval para ameaças c-UAS como uma atualização de seu sistema de armas Typhoon. Ativo com 23 marinhas, incluindo os Estados Unidos, está instalado em uma dezena de plataformas diferentes no mar. O MK-30c agora pode conter até 400 cartuchos – o dobro da capacidade do sistema Typhoon anterior – com elevação de 70 graus, juntamente com munição de estouro de ar para enfrentar VANTs pequenos e médios. Instalaram e integraram a tecnologia de reconhecimento automático de alvos de processamento de imagem comprovada operacionalmente. O sistema pode enfrentar VANTs em uma faixa de vários quilômetros.

A Netline Communications Technologies, com sede em Israel, oferece um produto c-UAS multicamadas chamado DroneNet, que detecta, rastreia e bloqueia drones. Em um sucesso separado para o Smart Shooter de Israel, a empresa foi escolhida pelo Exército dos EUA em junho de 2020 como um de vários produtos aprovados pelo Pentágono. Ele também é usado pela Marinha da Índia e outros 10 países estão em vários estágios de avaliação do sistema.

O ThirdEye de Israel, que é usado pelas Forças de Defesa de Israel, também pode ser usado como um sistema de detecção eletro-óptico contra pequenos drones. A Skylock também fabrica produtos c-UAS, incluindo um novo sistema hard-kill chamado DroneLock que usa nteligência artificial para combater drones que chegavam.

Fonte: Defense News
Conheça mais empresas que possuem soluções anti drone e outras para o setor de segurança através do e-mail [email protected]