Solução de empresa Israelense foi fundamental na investigação do caso Henry Borel.

A empresa israelense, Cellebrite, referência no desenvolvimento e aplicação de soluções integradas e personalizadas que permitem acessar rápida e legalmente evidências digitais, se destacou na investigação do caso do menino Henry Borel Medeiros. A Polícia civil do Rio de Janeiro utilizou a solução da empresa israelense para recuperar mensagens apagadas de Jairinho e Monique Medeiros, o que possibilitou a prisão dos acusados na última quinta-feira. A empresa oferece tecnologias para desbloqueio e perícia de diversos aparelhos eletrônicos e está entre as principais fornecedoras de soluções de investigação. As áreas de expertise da empresa são: desbloqueio de dados; extração avançada (recuperação do sistema de arquivos completo de todos os dispositivos Apple e Android); e serviços técnicos (recuperação e examinação de evidências importantes de dispositivos esmagados, quebrados, queimados ou danificados por água).

A Cellebrite já ofereceu suas soluções para auxiliar também na Operação Lava Jato e é um exemplo de como tem sido importante contar com inteligência digital para investigação de crimes, uma vez que crimes têm sido cada vez mais planejados, conduzidos e pagos através de plataformas digitais. Ao rastrear atividades digitais em dispositivos como smartphones, laptops e nuvem, os investigadores agora podem resolver casos que vão de homicídio a fraude financeira.

Conheça mais sobre empresas israelenses que trabalham com inteligência digital, entrando em contato através dos e-mails [email protected] e [email protected]