Start-up Israelense desenvolve cultivo com água salgada

Os materiais são completamente seguros e dão às culturas uma forma de ‘imunidade’ ao sal e também às condições de seca.

esta noticia foi adaptada do site Israel21c

Muito seco, muito quente, muito frio, muito salgado – Diversos fatores ameaçam a produção agrícola em todo o mundo. Os problemas são vastos, então a empresa israelense de ag-tech SaliCrop zerou na questão da salinidade. Seu tratamento de sementes não geneticamente modificado permite que culturas como trigo, milho e arroz cresçam bem em solo de alta salinidade ou solo irrigado com água salgada.
Da planície costeira da Carolina do Norte às ilhas de Bengala Ocidental, Índia, o sal de inundações ou o aumento da água do mar assolam aproximadamente 20% dos campos agrícolas irrigados do mundo, com uma perda de US$ 12 bilhões por ano.
A SaliCrop agora tem instalações em Israel e na Índia servindo oito projetos-piloto nesses mercados.
À medida que os negócios estão se expandindo para o México e austrália, as instalações de tratamento normalmente teriam sido criadas nesses países também, mas devido à pandemia as sementes serão tratadas e exportadas.
Processo químico
O tratamento de SaliCrop é um processo de química úmida que estimula uma reação epigenética às condições de salinidade – o que significa que o DNA da planta é alterado sem engenharia genética.
“Ao contrário de outros tratamentos, este é econômico e rápido e aumentou o rendimento em 12 a 30%”, diz Bronshtein.
“Nossa solução é aplicável a uma ampla gama de culturas e variedades e é uma solução economicamente viável para agricultores familiares e grandes players.”
O modelo de negócio será licenciar a tecnologia para produtores de sementes e ONGs.