Relatório israelense pretende traçar planejamento para a revolução do transporte inteligente

Notícia adaptada de: Times of Israel

Com carros elétricos autônomos e aplicativos de que compartilham carona gradativamente substituindo carros particulares, Israel publicou um relatório que pretende se tornar a base de um documento político que ajudará a Startup Nation a se preparar para a próxima revolução do transporte inteligente.

O relatório, publicado pelo Conselho Econômico Nacional e apresentando dois cenários claramente opostos para os efeitos do transporte inteligente em uma ampla gama de questões, como planejamento urbano, empregos, saúde e segurança, será distribuído nos próximos dias para todos os ministérios do governo.

Seu objetivo é impulsionar o pensamento do governo e instar os ministérios a melhorar a coordenação, tornando-se a base de uma política nacional que levará à “adoção positiva”, nas próximas duas décadas, de carros conectados e autônomos.

O advento dos carros elétricos, autônomos e conectados já está em andamento em Israel em vários projetos pilotos, e a taxa de penetração deve aumentar após 2025-2030, disse o relatório, de autoria de Roni Bar, do conselho. Esses veículos podem ser materialmente diferentes daqueles que conhecemos hoje.

Embora ainda haja muita incerteza sobre a forma que as novas tecnologias tomarão, quando elas amadurecerão e como serão implementadas, a maioria dos especialistas da indústria global acredita que elas alterem a maneira como as pessoas e as mercadorias viajam.

Eles também devem ter um “impacto dramático” na economia, incluindo planejamento e construção, mercado de energia, receitas do estado, custo de vida, mercado de trabalho, poluição, segurança, saúde pública e outras áreas, segundo o relatório.

Destaques

O transporte inteligente pode ajudar a reduzir o tráfego, segundo o relatório. O tráfego custa à economia israelense cerca de 10 bilhões de dólares por ano, uma quantia que deve dobrar até 2040, a menos que medidas sejam tomadas. Carros autônomos podem potencialmente ajudar a aliviar os congestionamentos, pois alguns dos passeios serão compartilhados e o número de carros particulares poderá ser reduzido.

Da mesma forma, o advento dos carros autônomos e de compartilhamento de carros reduzirá a necessidade de vagas de estacionamento. Isso poderia liberar estacionamentos para outros fins, como construção adicional de residências, escritórios, ciclovias ou espaços verdes. Os carros inteligentes elétricos reduziriam ainda mais a dependência de combustível, além de reduzir a poluição e, espera-se, os acidentes de trânsito, segundo o relatório. Estimativas dizem que remover o fator humano da direção reduziria os acidentes em cerca de 90%, segundo o relatório.

Embora Israel até agora não seja um participante na indústria automobilística, o país está desempenhando um papel central no campo do transporte inteligente, “onde tem uma vantagem relativa”, diz o relatório. “A transição do estágio de desenvolvimento para os estágios de implementação do transporte inteligente cria uma oportunidade significativa adicional para Israel, que pode se tornar um centro” para sites beta-piloto, disse o relatório.

O relatório foi escrito em cooperação com todos os ministérios do governo, incluindo a Administração de Combustíveis Alternativos e Transporte Inteligente no Gabinete do Primeiro Ministro, o Ministério dos Transportes, o Ministério da Energia e a Administração do Planejamento.

Fonte: Times of Israel