Whey protein pode ajudar no tratamento de diabetes

Nova pesquisa israelense sugere que whey protein pode ajudar no tratamento de diabetes, evitando picos de glicose no sangue mesmo após uma refeição de alto índice glicêmico.

Os fisiculturistas ingerem montanhas de whey protein para aumentar massa muscular. Entretanto, pesquisadores de Israel encontraram um novo e bom motivo para o uso do suplemento.

Um novo estudo de pesquisadores israelenses e suecos descobriu que uma simples ingestão de whey protein meia hora antes do café da manhã pode ajudar diabéticos – ou aqueles que estão propensos a desenvolver a doença – a evitar picos de glicose no sangue e a tratar melhor a doença.

Os pesquisadores profª. Daniela Jakubowicz e dr. Julio Wainstein do Centro Médico Wolfson em Holon; o prof. Oren Froy da Universidade Hebraica de Jerusalém; e o prof. Bo Ahrén da Universidade de Lund e colegas estudaram um grupo de pessoas que consumiram whey protein antes de uma refeição rica em glicose.
Quando comparados a um grupo controle que não ingeriu o soro, os resultados foram impressionantes, de acordo com um resumo da pesquisa publicado em julho no periódico Diabetologia  da Associação Europeia para o Estudo do Diabetes.

Níveis glicêmicos mais baixos

É sabido que consumir proteína estimula o GLP-1, um hormônio no intestino, a produzir insulina. Assim, os pesquisadores supuseram que o GLP-1 deveria ser capaz de ajudar o corpo a controlar a glicose no sangue após uma refeição.

No estudo, os pesquisadores examinaram 15 pessoas que tinham diabetes tipo 2 e estavam tratando seus sintomas sem medicação. A essas pessoas foi servida uma bebida de proteína em ambiente hospitalar ––  50 mg de proteína de soro em um copo de água –– e, em seguida, meia hora depois, elas recebiam uma refeição com alto índice glicêmico.

O café da manhã incluía três fatias de pão branco e geleia feita de açúcar. Durante duas semanas, cada pessoa do grupo recebia a bebida de soro ou um placebo de água antes da refeição.

O sangue era retirado para amostragem em todos os grupos 30 minutos antes da refeição e, em seguida, 15, 30, 60, 90, 120, 150 e 180 minutos depois, comparável à bateria de testes por que passa uma mulher grávida quando está sendo examinada para diabetes gestacional.

O esquema do estudo é estatisticamente potente, dizem os pesquisadores, porque os mesmos pacientes foram testados tanto com o placebo quanto a bebida de proteína durante um período determinado.

Aqueles que beberam o preparado de soro antes da refeição tiveram proteção contra a refeição rica em glicose.  Os níveis glicêmicos no sangue foram reduzidos em espantosos 28% comparados aos que não beberam o soro.

Resposta mais alta de insulina

Olhando mais a fundo, os pesquisadores relataram que tanto a insulina quanto o peptídeo C, que faz parte da insulina, estavam mais altos –– cerca de 105% e 43%, respectivamente –– no grupo da proteína de soro.

Da mesma forma, foi observada uma resposta antecipada de insulina 96% mais alta entre aqueles que ingeriram o soro. Essa resposta é importante em termos de uma capacidade de o diabético lidar com um aumento pós-refeição da glicose sanguínea.

Os autores concluíram: “A proteína de soro pode, portanto, representar uma nova abordagem para melhorar as estratégias de redução da glicose no diabetes tipo 2”.

As bebidas de proteína de soro antes de uma refeição, e sem a adição de nenhum outro tipo açúcar ou nutrientes, poderia ser uma maneira barata e significativa de ajudar as pessoas a tratar o diabetes, sugerem os pesquisadores.

No entanto, serão necessárias mais pesquisas sobre os efeitos a longo prazo do soro no sangue de um paciente diabético para observar se os efeitos permanecerão duradouros com o passar do tempo.

Fonte: Israel21c

Imagens: Israel21c / Food Advice Centre

Share on LinkedInShare on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someoneShare on Google+