Soluções e apps de Israel na luta contra o coronavirus

À medida que a pandemia de coronavírus continua a se espalhar pelo mundo e a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou estado de emergência mundial, a inovação israelense está fazendo sua parte no combate ao vírus. oferecendo soluções de suporte às instituições que lidam com o problema, tanto na área de saúde como na administração.

Não é segredo que o mundo procura em Israel soluções inovadoras específicas em diferentes circunstâncias, e esta não é diferente. Apelidada de Start up Nation, e com quase 10% dos trabalhadores empregados em alta tecnologia, a pandemia de coronavírus sofreu uma enxurrada de novas tecnologias projetadas para conter a transmissão.

Desenvolvedores e trabalham em aplicativos para rastrear a disseminação do COVID-19, enquanto o maior hospital do país faz progressos com a telemedicina para proteger a equipe.

A organização sem fins lucrativos Start-Up Nation Central compilou um diretório de cerca de 70 empresas israelenses de tecnologia que desenvolvem respostas ao novo vírus, que já infectou mais de 4.000 pessoas no país.

Um aplicativo que se destaca é o Hamagen (o escudo), lançado no início deste mês pelo Ministério da Saúde. Usando a tecnologia de geolocalização, o aplicativo informa os usuários sobre quaisquer pontos de contato com casos conhecidos do COVID-19. Os afortunados recebem mensagens dizendo que “nenhum ponto de interseção foi encontrado com pacientes com coronavírus”. “Avisaremos se houver algo novo”, ele acrescenta. O aplicativo é um meio tecnológico destinado a dar a todos e a capacidade de saber com precisão e imediatamente se estiveram em contato com uma pessoa infectada pelo coronavírus, afirmou o Ministério da Saúde em comunicado quando o aplicativo foi
instalado. divulgado, explicando que se destinava a otimizar o que antes era um processo complicado e ineficiente. O Hamagen pede consentimento do usuário e o Ministério da Saúde prometeu que os dados do GPS não saem do seu celular e não são enviados a terceiros.
Outro aplicativo visa avaliar se você possui o COVID-19 com base no som da sua voz. O Ministério da Defesa ofereceu suporte a uma startup israelense chamada Vocalis Health, que está desenvolvendo um aplicativo capaz de diagnosticar o COVID-19 com base no som da voz de alguém.

Atualmente, estão sendo coletadas amostras de voz de portadores de vírus em vários estágios da doença e amostras de pessoas não infectadas, com o objetivo de desenvolver um algoritmo baseado em IA para detectar a impressão digital vocal do COVID-19.

Os profissionais de saúde poderão alertar os usuários nos estágios iniciais da doença e usar o aplicativo para monitorar sua disseminação pela população. Além de ajudar a conter novas infecções, o aplicativo também pode permitir que os pacientes sejam monitorados
em casa, acrescentou.

O Sheba Medical Center, o maior centro médico no Oriente Médio, já usa tecnologias emergentes para proteger a equipe que cuida de pacientes com coronavírus visando garantir que haja o mínimo de contato necessário entre equipes médicas e pacientes. Com esse objetivo, o hospital monitora pacientes em condições leves por meio de telemedicina, que permite que os sinais vitais sejam comunicados à equipe por meio de sensores conectados ao telefone de um paciente sem necessidade de contato direto.

O diretor Prof. Eyal Leshem,informa que a telemedicina é usada em tratamentos regulares do hospital e agora, mudando de contenção para mitigação, começarão a usar as mesmas tecnologias para monitorar os pacientes em casa. O Sheba Medical Center também possui um centro de inovação e pesquisa, que trabalha para coletar todos os metadados dos pacientes com COVID-19, como por exemplo os viajantes do navio Diamond Princess que foram enviados para suas instalações. Segundo o Prof. Leshem, à medida que são acumulados mais e mais dados, será possível identificar marcadores de doenças graves, identificar fatores prognósticos para pacientes hospitalizados em todos os níveis e potencialmente usar esses dados para identificar oportunidades de tratamento.

No entanto, quando o vírus começou a se espalhar pelo mundo, foi desenvolvida uma solução simples e eficiente como Soapy, um sabão antiviral para lavagem das mãos com ingrediente especial à base de plantas, combinado com outros recursos, mata um vírus mais resistente que a corona.

O MIGAL Galilee Research Institute rapidamente começou a reformular uma vacina que estava sendo trabalhada nos últimos quatro anos contra o coronavírus de aves de capoeira. Embora o processo seja lento, pois depende de testes bem sucedidos em humanos e requisitos regulamentares, o protótipo da vacina já está desenvolvido.

Os esforços elencados são ilustrativos da atitude de Israel em relação à gestão de crises. Para conhecer melhor estas soluções apresentadas e as demais disponíveis, favor entrar em contato atraves do email [email protected]

Fonte: The Times of Israael Ed. 31/33/2020
Invest in Israel newsletter