Empresa israelense inicia projeto inédito no combate à dengue no Paraná

A empresa israelense Forrest Innovations deu início à soltura de mosquitos estéreis em Jacarezinho (PR), uma ação inédita no mundo – segundo a própria empresa – para o combate à dengue e outras doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. O projeto da multinacional, que tem unidades em Israel, nos Estados Unidos e no Brasil, tem a parceria do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) e da prefeitura da cidade situada no Norte Pioneiro do Estado.

Este artigo foi retirado de Folha de Londrina

Hugo Batista/Divulgação - O biólogo e gerente operacional da Forrest Innovations Rodrigo de Oliveira e o prefeito de Jacarezinho Sérgio Faria: tecnologia deve reduzir em 90% a população do Aedes aegypti
O biólogo e gerente operacional da Forrest Innovations Rodrigo de Oliveira e o prefeito de Jacarezinho Sérgio Faria: tecnologia deve reduzir em 90% a população do Aedes aegypti. Imagem: Hugo Batista/Divulgação

A multinacional mantém um laboratório móvel em Jacarezinho, cidade com um dos maiores índices de infestação pelo mosquito Aedes aegypti no Paraná. “Há meses nossa equipe está na região trabalhando com pesquisa, visitando as residências das áreas mais atingidas e buscando conscientizar a população sobre a proliferação desse mosquito. A soltura é o momento em que colocamos nossa pesquisa em prática. Nos próximos oito meses ela será repetida de forma gradativa”, explica Elaine Santos, diretora da Forrest Brasil e membro do conselho Forrest Innovations.

A técnica é inédita e considerada natural, pois ela não utiliza manipulação genética. “A partir de ovos de mosquitos coletados na região afetada e levados para o laboratório, são produzidos mosquitos estéreis. A espécie é alimentada com ingredientes específicos nas fases de larva e pupa, capazes de tornar os machos estéreis quando atingem o estágio de mosquito adulto. Esses machos são soltos na natureza para copular com as fêmeas, que não são fertilizadas e por isso não reproduzem”, destaca o coordenador do projeto Emerson Soares Bernardes.

“Jacarezinho é a primeira cidade do mundo a receber o projeto, o que é um passo gigantesco para o controle de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Em breve poderemos mostrar os resultados desse trabalho e, possivelmente, levá-lo para outras regiões afetadas, em qualquer lugar do mundo”, salienta o CEO Nitzan Paldi.

Para o prefeito de Jacarezinho Sérgio Faria, a empresa está conseguindo sensibilizar a população. “O profissionalismo da Forrest faz a comunidade assimilar a relevância do trabalho e, inclusive, colaborar com ele. Jacarezinho é o município que mais preocupa a Secretaria de Saúde do Estado do Paraná com relação à dengue, pois registramos um alto índice do Aedes.”

CONTROLE NATURAL

A técnica desenvolvida pela Forrest Innovations, que atua no Controle Natural de Vetores (CNV), é baseada na criação massiva de machos estéreis para serem soltos na natureza. Quando uma fêmea silvestre copula com um macho estéril ela não gera descendentes, diminuindo assim a proliferação desses mosquitos. O mosquito macho se alimenta apenas de seiva de plantas e, portanto, não pica e não oferece nenhum risco para a população. São as fêmeas que transmitem as doenças porque, além de consumirem seiva, precisam de sangue para completar o processo de maturação dos ovos e fazer a postura.

Fonte: Folha de Londrina