Brasileiro se destaca em Israel como investidor em empresas start-up

Um brasileiro está se destacando, em Israel, como um dos maiores investidores em empresas embrionárias, as chamadas start-ups.

Há 12 anos morando no país, o engenheiro paulista Michel Abadi criou, em 2013, com o sócio israelense Yaron Carni, a Maverick Ventures, que investe de US$ 1 milhão a US$ 3 milhões em cada start-up selecionada.

No momento, a Maverick tem dez start-ups em seu portfólio, com mais duas em fase de inclusão.

Diariamente, Abadi recebe de dois a três pedidos de investimento, mas escolhe apenas as iniciativas mais criativas, com inovações tecnológicas. Em geral, os possíveis agraciados são jovens empreendedores que desenvolvem soluções que, segundo eles, podem mudar o mundo.

“Em Israel, a ambição é muito forte. Eles querem realmente mudar o mundo. Não necessariamente na parte financeira, quer dizer, logicamente o dinheiro vem junto. Mas o principal objetivo deles, normalmente, é desenvolver soluções para o mundo inteiro”, diz Michel Abadi.

O sucesso de um brasileiro como ‘anjo’, como é chamado esse tipo de investidor no jargão econômico, não é comum em Israel, país com a maior densidade de start-ups do mundo.

Hoje, no país, há 6.000 start-ups para 8 milhões de habitantes —uma empresa para cada 1,5 mil pessoas, quase três vezes mais do que a proporção nos Estados Unidos.

Abadi conta que o fato de ele ser brasileiro às vezes surpreende empreendedores.”Sim, inicialmente é uma surpresa porque somos muito poucos brasileiros nessa indústria, mas, logo em seguida, a reação é muito positiva”, afirma.

Michel Abadi diz, no entanto, enfrentar algumas suspeitas por ser brasileiro. Os israelenses temem, por exemplo, que chegue atrasado a reuniões ou se comporte de maneira menos profissional. O estereótipo é rapidamente quebrado pelo “anjo” paulista.

Continue lendo na Folha de São Paulo