$2,8 Bilhões investidos em Israel na primeira metade de 2016

“A indústria está trabalhando muito e os investidores ainda estão no jogo.” — Ofer Sela, parceiro do grupo de tecnologia KPMG Somekh Chaikin

As previsões de economias globais instáveis e uma força de trabalho civil israelense necessitando de mais recursos humanos não interromperam o fluxo de caixa de investimentos em startups de Israel no primeiro semestre de 2016. De fato, o aumento de capital de alta tecnologia israelense atingiu impressionantes $2,8 bilhões nos primeiros seis meses do ano, de acordo com relatório do IVC Research Center.

Empresas de tecnologia de Israel arrecadaram impressionantes $1,7 bilhão no segundo trimestre de 2016, em 187 negociações financeiras. No primeiro trimestre de 2016, 174 empresas de alta tecnologia israelenses aumentaram em $1,1 bilhão em rodadas de financiamento privado.

“Não há dúvida de que os investidores ainda estão bem confiantes com relação a Israel. Boas empresas sempre crescerão [em termos financeiros]”, contou Amit Karp, vice-presidente da Bessemer Venture Partners que se concentra em investimentos em Israel e na Europa, à ISRAEL21c.

As 361 negociações estão 35 por cento acima dos $2,1 bilhões arrecadados nas 327 negociações realizadas nos primeiros seis meses de 2015, de acordo com o IVC Research Center.

A maior parte do dinheiro investido nos primeiros meses do ano foi para os setores de ciências naturais e empresas de software.

Gett, Interlude, enSilo, Lumus e mais

A Gett (antiga GetTaxi), aplicativo de serviços de táxi, registrou a maior negociação de investimento do segundo trimestre – um investimento estratégico de $300 milhões feito pela Volkswagen.

Entre outros investimentos de destaque deste ano está a rodada de investimento de Série C, de 100 milhões, do aplicativo de carona Via, pelos investidores estratégicos da América do Norte, Europa e Ásia; o “investimento multimilionário em dólar” da Sony Pictures Entertainment na startup de tecnologia e mídia Interlude; a rodada de investimento de Série C, de 40 milhões, na Trax Image Recognition; rodada de investimento de $22 milhões na plataforma de conteúdo de marketing Yotpo, rodada de investimento de Série B de $20 milhões na plataforma inovadora de marketing e fidelidade AppCard; e o investimento da líder chinesa de $15 milhões na Lumus, desenvolvedora de visores de alta tecnologia para realidade aumentada (AR), realidade misturada (MR) e óculos inteligentes.

Outros grandes investimentos incluem uma rodada de financiamento de $9 milhões para a startup de segurança cibernética enSilo; $10 milhões do United Overseas Bank Limited (UOB) na OurCrowd; $50 milhões em financiamentos de Série B para a startup de realidade aumentada Meta; financiamento de Série E de 50 milhões para o provedor de ferramentas de plataformas de assistência online WalkMe; uma rodada de investimento de $25 milhões feita pela EarlySense, líder em soluções de monitoramento sem contato; e a rodada de investimento financiados por capital de risco na startup Weka.IO de $22,25 milhões, entre vários outros.

“O aumento evidente das grandes negociações é impulsionado pelo aumento da atividade dos investidores estrangeiros – principalmente investidores de empresas e fundos de capital de risco – em empresas em fase de crescimento”, disse Simana. “Porém, o crescimento não está limitado a negociações altas. Também estamos vendo um aumento das negociações de valor baixo e médio, como as entre $5 milhões e $10 milhões, saltando 50 por cento, para um recorde de $234 milhões. Esta tendência generalizada nos leva a crer que 2016 continuará a ser forte na arrecadação de capital, com um aumento projetado de 20 por cento a cada ano, ou cerca de $5,3 bilhões no total, a serem levantados até o final do ano.”

Somente em junho, as startups de Israel arrecadaram $561,4 milhões. O mês de maio trouxe $327 milhões.

“Ainda há muito dinheiro disponível ao redor, pronto para ser investido, e um número significativo de empresas interessantes que são bons candidatos para investimentos. Por outro lado, existe o medo de que o mercado mundial de tecnologia está prestes a encolher. No entanto, a quantidade de dinheiro disponível e as empresas atraentes têm a sua força – como pode ser visto a partir do volume total de investimentos desse [primeiro] trimestre, a indústria está trabalhando arduamente e os investidores ainda estão no jogo”, disse Sela, da KPMG Somekh Chaikin.

Capital de risco

Enquanto isso, os compromissos de capital de risco partiram em ritmo acelerado este ano. Nos dois primeiros meses de 2016, as empresas de investimento de Israel receberam mais de $665 milhões em novas garantias.

Um dos investidores mais recentes em alta tecnologia israelense é Bill Gates. De acordo com Globes, Gates investiu indiretamente na MedX Xelerator, uma nova incubadora especializada em equipamentos médicos e medicina digital. Os quatro parceiros da incubadora são Sheba Medical Center, Boston Scientific, MeDX Ventures Group e Intellectual Ventures Company (na qual Gates é investidor).

Os parceiros comprometeram-se com um investimento de $65 milhões ao longo de oito anos em empresas e graduados das incubadoras .

O IVC mostra que nos primeiros seis meses do ano, investimentos financiados por capital de risco atingiram $1.882 bilhões. Havia 117 negociações financiadas por capital de risco, representando um recorde de $1,1 bilhões no segundo trimestre e 97 negociações no valor de $782 milhões no primeiro trimestre.

Em maio, a HP anunciou o lançamento da HP Tech Ventures, um novo braço corporativo de investimentos, mirando em empresas em estágio inicial com tecnologias de ponta. Operando em Palo Alto, Califórnia, e Tel Aviv, a HP Tech Ventures disse que vai buscar investimentos estratégicos e parcerias em áreas tecnológicas disruptivas, incluindo: transformação em 3D, computação de imersão, hypermobility, Internet das Coisas, inteligência artificial e máquinas inteligentes.

Curiosamente, nos primeiros seis meses do ano, cerca de 57% dos negócios incluíram pelo menos um investidor de capital de risco estrangeiro, em comparação com uma média de 32% no primeiro semestre dos dois anos anteriores, de acordo com o relatório do IVC.

O relatório do início de junho da Bloomberg sobre o fluxo de capital estrangeiro para Israel afirmou que os investidores internacionais estão interessados em startups israelenses porque a “economia deve crescer 2,8 por cento este ano, em comparação com 1,8 por cento para os EUA e a União Europeia”.

Leia a notícia completa em Israel 21c