LiveU transmitirá os Jogos Olímpicos para o mundo

A delegação olímpica israelense poderá ou não ganhar medalhas durante as Olimpíadas no Brasil este ano, mas uma startup israelense tem tudo para voltar para casa com elogios.

A empresa israelense LiveU, de tecnologia de transmissão de vídeos ao vivo por meio de celular, permitirá que as emissoras transmitam imagens do Brasil para o mundo todo em tempo real, com pouca latência e uma excelente qualidade de imagem, de acordo com o cliente William Albarracin, que foi responsável pela tecnologia na Copa do Mundo de 2014.

 “A LiveU excedeu as nossas expectativas”, disse Albarracin. “Nos deu a mobilidade de estar ao vivo em qualquer lugar e a qualquer momento. Nós sabíamos que o cenário brasileiro era desafiador, apesar de alcançarmos 9MBPS em algumas áreas. Além disso, o sistema de gestão, LiveU Central, nos deu a flexibilidade e geo-localização que nos permitiu maximizar o uso de unidades no campo”.

Sediada em Kfar Saba, subúrbio de Tel Aviv, com escritórios nos EUA em Hackensack e Nova Jersey, a LiveU foi fundada em 2006 e continua a ser a única empresa que oferece uma solução de sinal remoto para vídeo, com transmissão de qualidade sem a necessidade de um satélite ou conexão de internet a cabo. A LiveU é atualmente a única empresa oferecendo uma solução em transmissão robusta para as emissoras, consistindo em até 14 modems de celular (3G/4G — LTE/WiMAX)  por meio de diversas operadoras, bem como múltiplas redes locais (LAN) e até mesmo conexões por satélite BGAN (como backup).

A solução funciona com qualquer câmera e os modems interligados no sistema (tanto 3G como 4G) agregam todas as conexões de dados simultaneamente para obter uma banda larga e transmissão regular, mesmo com as mudanças de banda e níveis de sinal nas diferentes conexões.                                                                                                         

“Mesmo que algumas das conexões de certas operadoras sofram flutuações e desacelerem quando ocorrer tráfego intenso na rede, o software da LiveU irá compensar essa desaceleração recorrendo a outras fontes para manter a conexão funcionando com a melhor qualidade possível”, disse o CEO da LiveU Samuel Wasserman.

Fonte: NoCamels