Hub de inovação da ENEL em Tel Aviv já gera resultados positivos

Esta notícia foi retirada do site Startup Enel

Multiplicar as possibilidades de satisfazer a procura de soluções tecnológicas eficazes e a oferta de inovação num dos ecossistemas mais férteis e inovadores do mundo.

Neste espírito, em julho de 2016, a Enel escolheu a capital israelita, Tel Aviv, para criar o primeiro Enel Innovation Hub: um espaço em que a abordagem Open Innovation e a decisão de colocar a digitalização entre os pilares estratégicos do Grupo Enel assumem a forma do acelerador de negócios. A forma mais eficaz de promover a pesquisa contínua de tecnologias que garantam um negócio de energia sustentável, num contexto de transformação rápida e contínua.

De fato, a rede de startups de alta tecnologia israelense é uma das mais vibrantes do mundo, com tamanha concentração de empresas inovadoras, que foi rebatizado de Silicon Wadi (vale em hebraico), depois do Vale do Silício nos EUA.

“Desde o nosso lançamento, seis meses atrás, muito interesse e tração evoluíram em torno do Enel Innovation Hub, tanto em Israel como no exterior”, enfatizou Eran Levy, que lidera o arranque de exploração em Tel Aviv. “Até agora temos conversado com centenas de startups, apresentando as 50 mais relevantes, inovadoras e interessantes para os nossos campeões de negócios da Enel. Global TIC, nosso primeiro parceiro interno, já está em processo de avaliação de projetos com startups de segurança cibernética selecionados, em particular produção e distribuição, com foco em startups de drone”, e a Market Italy, para soluções de cuidados domésticos e familiares.

Os campos em que as atividades de pesquisa devem incidir são definidos na sequência das reuniões em andamento, com as várias unidades de negócios do Grupo. Entre as prioridades tecnológicas identificadas até agora: segurança cibernética, Internet industrial das coisas, drones, tecnologias domésticas inteligentes e cuidados familiares.

“Há duas chaves principais para o sucesso na inovação aberta que nós adotamos muito rapidamente e com vigor: um acoplamento forte do negócio e uma comunicação aberta, contínua, entre o hub e as unidades de negócio. Para garantir a manutenção e execução destes princípios, construímos uma prática que inclui de 8 a 10 bootcamps a cada ano, em que as delegações da Enel chegam a Israel para dois ou três dias intensivos, para reunir-se com 15 a 25 startups selecionadas em cada visita. Até onde eu sei, esta é a maior proporção de apresentações e acompanhamento de startups-campeãs do setor. O resultado esperado é, eventualmente, ter alta relação de parcerias comerciais entre a Enel e as startups”.

Nos primeiros seis meses de atividade, o Tel Aviv Enel Innovation Hub já estabeleceu a sua primeira parceria: a Aperio System, startup que ganhou o Enel Cyber Security Hackathon e desde dezembro opera no Hub, alojada nos escritórios da SOSA, a plataforma de inovação que colabora no projeto de inovação aberta.

Entre fevereiro e abril estão programados outros quatro campos. Eles vão se concentrar em tecnologia agrícola, energias renováveis, mobilidade elétrica e tecnologias blockchain (uma tecnologia de mineração de dados, introduzida pela moeda eletrônica Bitcoin, que usa sistemas de criptocorrência e bancos de dados distribuídos).

Fonte: Startup Enel