Megaespião troca ‘NSA israelense’ por aposta em ‘ciberstartups’

Nasdav Zafrir liderou a maior agência de espionagem de Israel por 25 anos.
Abandonou tudo para apostar em empresas iniciantes de cibersegurança.

Nasdaq_102615092O israelense Nasdav Zafrir estampa no currículo 25 anos em entidades de inteligência de Israel, entre a Unidade 8200 de Tecnologia e Inteligência (a NSA de Israel), da qual foi chefe, e o Cyber Comando das Forças Armadas, que fundou.

Ele deixou a linha de frente da espionagem em 2013 para trabalhar em um misto de incubadora, aceleradora e consultoria de empresas iniciantes de tecnologia, a Team8. Mas a firma não trabalha com quaisquer startups. Apenas as focadas em cibersegurança são aceitas nas trincheiras do veterano da ciberguerra.

Gigantes dão apoio

Até o começo de 2015, a firma mantinha sua atuação longe dos holofotes. Conseguiu isso mesmo após receber o apoio de gigantes da tecnologia. Mas teve de romper o silêncio ao receber US$ 18 milhões de investidores como Cisco (rede de comunicações), Alcatel (telecomunicações) e o chefe do Conselho do Google, Eric Schmidt.

A Team8 só deixou de voar mesmo abaixo do radar em junho quando apresentou a primeira startup apoiada, a Illusive Networks. Ironicamente, a empresa leva a ideia de contraespionagem ao mundo virtual para evitar que vírus e outros malwares infectem sistemas. Ela bombardeia ameaças cibernéticas com informações falsas para que não consigam agir corretamente.

Zafrir pode ter abandonado a espionagem, mas não os espiões. E seus parceiros reconhecem isso. “Nós somos sortudos por entrar em acordo com a Team8, que está à frente de uma inovação de ponta na cibersegurança. Tem8 é o grande exemplo de como Israel tem alguns dos melhores talentos no mundo para confrontar esses desafios”, afirma Schmidt.

Time de ex-agentes

Isso porque ex-agentes de inteligência ocupam alguns dos principais cargos na firma. Fora Zafrir, presidente-executivo, os outros dois cofundadores são da área. Israel Grimberg é chefe de inovação, mas passou 23 anos na Unidade 8200, onde liderou a Cyber Divisão. Liran Grinberg toca a área de desenvolvimento de negócios e marketing, mas já passou também pela “NSA israelense”.

Durante sua apresentação na 5ª Conferência Anual Internacional de Cibersegurança, em Tel Aviv, Zafrir falou que as milhares de vagas para especialistas em tecnologia são um problema em Israel – assim como nos Estados Unidos, Brasil… Para solucionar a questão, as empresas deveriam abrir mão das certificações requeridas no setor e procurar outra abordagem. A visão é compartilhada com seus parceiros.

“Quando você é alvo de campanhas desenhadas por pessoas, precisa de habilidades muito profundas em ciberoperações que não vai encontrar no Vale do Silício e é quase impossível achar fora de organizações criminosas ou governamentais”, afirmou David Cowan, sócio do fundo Bessemer Venture Partners, outra das firmas que apoia a Team8. Cowan é um dos fundadores da VeriSign, empresa que atua com segurança de redes e administra o domínios “.com” e “.net”.

A empreitada de Zafrir surfa no fato de Israel ser conhecida como “Startup Nation”, dada a quantidade de empresas iniciantes que surgem – são 700 por ano, em média. O enfoque em serviços de inteligência cibernético, por outro lado, acompanha o movimento do governo de incentivar a criação de um ecossistema voltado para o mundo “Cyber”.

Fonte: G1