Como uma das companhias mais atacadas de Israel se defende?

Este artigo foi retirado da Security Report

Por Alexandre Finelli

Com cerca de 500 milhões de eventos diários, a principal fornecedora de energia elétrica de Israel – Israel Electric Corporation – construiu um dos sistemas mais protegidos do mundo e hoje é referência no desenvolvimento de estratégias de Segurança da Informação para empresas de todos os tamanhos

O ano de 2016 começou com um ataque cibernético paralisando o fornecimento de energia numa determinada região da Ucrânia. O resultado das eleições americanas pode ter sido influenciado pelo vazamento de dados em e-mails trocados entre a candidata Hillary Clinton e membros do Comitê Democrático. Um ataque a rede SWIFT resultou no roubo de US$ 81 milhões de um sistema financeiro. Outro ataque DDoS derrubou serviços de grandes companhias, como Amazon, Twitter, Spotify, entre tantas outras. Qual a relação entre esses casos? É que os ataques estão deixando de ser virtuais para atingir cada vez mais a vida das pessoas diretamente. Por esses e tantos outros acontecimentos é que muitos especialistas consideram 2016 um ano divisor de águas para a segurança cibernética.

Durante uma visita à sede da Israel Electric Corporation (IEC), em Tel Aviv, é possível perceber a importância que tal setor desperta no governo. Devido às questões geopolíticas e a uma vizinhança conturbada, Israel cuida de suas companhias como se protegesse o coração de seu país. E não é para menos. Sendo responsável por 70% da energia consumida em Israel, a IEC é uma das companhias mais atacadas da região. São 500 milhões de eventos diários (não há especificação de quantos deles são exclusivos de ciber), cujos ataques visam não apenas a TI, mas infraestrutura crítica de maquinário, turbinas e demais espaços físicos.

Mas diante de números tão assustadores, como a companhia consegue se proteger? A resposta é: levando a cibersegurança a sério. Na prática, isso significa ter um governo que apoia e investe em ciber (que será um capítulo destacado a parte posteriormente), recrutamento das principais mentes do país vindas de programas militares e universidades, treinamento constante e, claro, muito investimento. O resultado é um sistema de segurança robusto capaz de suportar os mais sofisticados e massivos ataques e é considerada hoje um modelo para as demais empresas, independente do setor em que atuam.

 

War Room

São cerca de 70 colaboradores totalmente focados em cybersecurity distribuídos em departamentos que operam em esquema 24×7 em três níveis. São eles: básico (ameaças de menor proporção), intermediário (vazamento, roubo de dados, indisponibilidade) e sofisticado (ataques multiníveis à infraestrutura crítica). Eles ficam alocados em salas chamadas de “War Room” decoradas com mensagens “motivacionais” como: “Segurança é uma responsabilidade de todos”, ou “Porque a Segurança nunca dorme, nós também nunca dormimos”. Por motivos óbvios, os que adentram o local são orientados a deixar seus pertences eletrônicos ao lado de fora.

Leia a noticia na integra no Security Report

* Alexandre Finelli viajou à Tel Aviv a convite do Israel Trade & Investment São Paulo, departamento comercial do Consulado de Israel

Deseja encontrar empresas israelenses de cyber?

Muitas das empresas e muitos dos empreendedores na dianteira da ciberinovação de Israel estarão em destaque na conferência RSA 2017, que será realizada em São Francisco, de 13 a 17  de fevereiro. A conferência atrai visitantes de mais de 50 países, e se tornou um importante ponto de encontro para debate sobre as últimas ameaças e soluções em cibersegurança.

Em respeito ao seu tempo, ficaremos felizes em recomendar empresas relevantes, coordenar reuniões individuais e garantir que você terá toda a atenção. Saiba mais sobre esta iniciativa e as empresas participantes  em nosso site: clique aqui.

As reuniões serão realizadas no Pavilhão Nacional de  Israel na RSA, South Hall A – stand No. 827 & 833.

Empresas brasileiras interessadas em marcar reuniões com as empresas israelenses durante a feira, com o objetivo de explorar possíveis oportunidades de negócios, favor entrar em contato com Ilana Kohl, que estará no Pavilhão de Israel para recepcionar os Brasileiros

[email protected] | (11) 3095-3111

 

Share on LinkedInShare on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someoneShare on Google+