Israel é líder mundial em tecnologias que ajudam a fornecer energia limpa ao planeta

No mês de novembro, Israel assinou um acordo para participar de um mercado comum de tecnologias limpas com outros 41 países que, entre outras coisas, prevê o cancelamento de impostos sobre produtos ecológicos. Também em 2014, Israel foi nomeado o país mais inovador no mundo na área de tecnologias limpas, segundo o ranking Global Cleantech 100 Index, desbancando 40 países.

Várias grandes empresas de energia renovável israelenses ajudam Israel a conquistar o reconhecimento mundial na área. Dentre elas a Ormat, produtora líder mundial de energia geotérmica, com usinas em países de todo o mundo, incluindo China, Japão e Myanmar. A Brightsource, cuja usina de Ivanpah, na Califórnia, é a maior usina de energia solar do mundo e a SolarEdge, líder de mercado para a otimização de energia solar distribuída com US $ 100 milhões em vendas por ano, todas com raízes tecnológicas em Israel.

Mas, grande parte da vantagem inovadora de Israel origina-se de startups cuja energia de ponta ajuda a transformar Israel em um dos principais centros de alta tecnologia do mundo – por isso o apelido popular de Israel, “Nação Empreendedora”.

Uma startup israelense líder no campo da energia limpa é a Emefcy. A Emefcy desenvolveu um sistema que utiliza bactérias que se alimentam de esgoto para produzir energia verde de águas residuais. Enquanto a maioria dos sistemas de tratamento de águas residuais consome muita energia, a inovação da Emefcy utiliza energia solar, deixando quase nenhuma pegada de carbono. Essa tecnologia de ponta é a razão por trás do apoio financeiro de Energy Technology Ventures, braço de capital da joint venture da GE, ConocoPhilips e NRG Energy.

Não é coincidência que essa tecnologia tenha sido desenvolvida em um país onde cada gota de água conta.  Na verdade, Israel reaproveita mais de 95% das águas residuais, de longe, a porcentagem mais alta do mundo.

A terra árida que abrange a maior parte do país tornou-se um playground para os cientistas, ecologistas e empresários de tecnologia limpa, gerando empresas incrivelmente aventureiras. A região de Arava, em Negev, por exemplo, contém nada menos do que 18 fazendas de piscicultura, que tornam Israel o sexto exportador mundial de peixes ornamentais. Israel também inventou o famoso sistema de irrigação por gotejamento, que desde então se tornou o esteio da agricultura, além de desenvolver as mais avançadas técnicas de dessalinização.

A startup israelense EcoWave acredita que aproveitar o poder do oceano será a próxima onda da energia sustentável. Para isso, desenvolveu uma tecnologia para extrair energia das ondas do mar e convertê-la em eletricidade.

Enquanto isso, a energia solar está rapidamente se tornando tão barata para produzir energia quanto os combustíveis “sujos”, mas até agora ninguém considerou o principal impedimento para a sua eficiência, ou seja, a sujidade. A sujidade é o nome dado para o acúmulo de poeira e sujeira nos painéis solares, que reduzem a produção de energia em até 35%.

A Ecoppia desenvolveu um robô para a limpeza de painéis fotovoltaicos que, não apenas aumenta significativamente a produção do painel solar, como também poupa o trabalho manual intenso e grandes quantidades de água, tradicionalmente utilizados para limpá-los.

A tecnologia inteligente da NewCO2Fuels resolve duas grandes preocupações globais de forma direta: Ao converter CO2 em combustíveis gasosos ou líquidos, combate emissões de CO2 e o problema da diminuição das reservas de combustíveis.

Para algumas startups, a eficiência de custos é tão importante quanto a eficiência energética. A Linum Systems criou um aparelho de ar condicionado híbrido solar que fornece refrigeração, aquecimento e aquecimento de água. Como o sistema funciona a base de luz solar e só muda para o modo de eletricidade à noite, ele pode reduzir a sua conta de energia em 50%.  A inovação da TIGI, o Honeycomb Collector, é uma nova geração de coletores de energia solar térmica (aquecimento de água), que transforma a luz solar para aquecer, minimizando assim as perdas de energia para o meio ambiente – mesmo em condições extremamente frias no inverno.

Estes são apenas alguns exemplos de como Israel constantemente gera inovações. Insatisfeitos com a realidade atual, sempre buscando maneiras de se adaptar a essa realidade, os israelenses desejam promover mudanças. Há vários fatores históricos, geopolíticos e conjunturas por trás disso. No entanto, quando se trata de tecnologia verde, a necessidade pode ser a única mãe da invenção em Israel.

Muitas das empresas israelenses com as melhores tecnologias e sistemas de última geração são apresentadas durante a Israel Energy Week, com uma série de conferências de Tel Aviv a Eilat, explorando uma variedade de tópicos, de geração de energia a energia inteligente, combustíveis alternativos, redes inteligentes, infraestrutura crítica e muito mais.

Fonte: Itrade

Share on LinkedInShare on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someoneShare on Google+