Israel lança com sucesso primeira nave espacial privada com destino à Lua

O lançamento da nave espacial israelense Beresheet, realizado às 22h45 do dia 21/02, representa um marco na história da exploração espacial. É a primeira vez que uma nave construída por uma empresa privada chegará até a Lua. A iniciativa é da SpaceIL, de Israel, com investimentos milionários liderados pelo bilionário sul-africano e israelense Morris Kahn. Para essa missão, a companhia israelita contou com a parceria da Space X, que forneceu um Falcon 9 especialmente para a ocasião.

Artigo escrito por Marisa Gil para Istoé Negócios

Trata-se da menor nave não-tripulada a ser lançada para a Lua: com altura de um metro e meio e diâmetro de 2 metros, a Beresheet (o nome significa “Gênesis” em hebraico) pesa 585 kg. É ainda uma das mais baratas: custou US$ 100 milhões, contra os bilhões de dólares usualmente gastos em missões governamentais.

Caso o pouso seja bem-sucedido, Israel irá se juntar a um grupo seleto de países que já colocaram uma navena Lua: Rússia (1966), Estados Unidos (1969) e China (2013). E o preço baixo poderá estimular outros países a seguir o mesmo caminho. De acordo com os planos da empresa, a nave deve realizar órbitas elípicas em torno da Terra por pouco mais de dois meses – dez dias antes do pouso, a Baresheet fará uma manobra para entrar na órbita lunar: o pouso deve acontecer no dia 11 de abril.

 

Desafio espacial

Segundo a Israel Aerospace Industries, agência governamental que dá suporte ao projeto, o objetivo principal da missão é inspirar as novas gerações de estudantes em Israel, para que se interessem por ciência, engenharia e tecnologia; outra meta é abrir novos caminhos para a economia de Israel, a partir dos conhecimentos acumulados na exploração espacial.

Para a SpaceIL, colocar uma nave israelita na Lua é uma questão de honra. Foi com esse objetivo que Yariv Bash, Kfir Damari and Yehonatan Weintraub fundaram a empresa em 2011. Tiveram como incentivo a competição Google Lunar XPRIZE Challenge, promovida pelo Google para estimular startups ligadas à indústria espacial. Com o fim do concurso, em 2018 (a Google desistiu do patrocínio), restou aos fundadores a opção de seguir em frente, mesmo sem o incentivo – eles eram considerados favoritos para o prêmio de US$ 20 milhões, prometido para a primeira equipe a pousar uma espaçonave de propriedade na Lua.

Confira o artigo completo e um vídeo com o lançamento do foguete Falcon que levou a Beresheet ao espaço na Istoé Negócios.