Israel tem a solução para a crise mundial da água

Centenas de milhões de pessoas podem encontrar a torneira seca nos próximos anos, a menos que comecem a seguir o exemplo de Israel, declara o autor de ‘Let There Be Water’

“Sou um homem com uma missão” afirma Seth Siegel, autor do recém-lançado Let There be Water: Israel’s Solution for a Water-Starved World (Thomas Dunne Books/St. Martin’s Press). “Meu objetivo é conscientizar as pessoas sobre o perigo de não ter um plano para enfrentar a crise da água que está por vir. Centenas de milhões de pessoas podem encontrar suas torneiras secas, sem nada de água, em alguns anos, e isso não é visto com a importância que deveria.”

O colunista do New York Times, empresário, guru de marcas e produtor da Broadway ficou surpreso ao descobrir, em Israel, o melhor modelo em operação de um planejamento para a questão da água.

Apesar de seu terreno deserto, rápido crescimento populacional e chuvas escassas, Israel apresenta atualmente um excedente de água. O país compartilha água com a Jordânia e os territórios de administração palestina na Cisjordânia e Gaza. Israel exporta tecnologias voltadas para a água no valor de US$ 2,2 bilhões, em constante crescimento.

Entre os produtos e políticas mais inovadores de Israel estão a irrigação por gotejamento e a “fertirrigação”, banheiros com dupla descarga, dessalinização das águas do mar, tratamento de águas residuais e reutilização avançada, água a preços de livre-mercado, sementes resistentes à seca, medições de ponta e sistemas de detecção de vazamentos, educação para a conservação e agricultura de precisão.

“Com a crise mundial da água se aproximando, o posicionamento de Israel ao tomar medidas ousadas pode ser a contribuição mais importante de uma filosofia voltada para a água em um mundo cada vez mais sedento”, diz Siegel.

Conforme seu livro, mais de 150 países já receberam ajuda do governo de Israel, assim como dos setores privado e sem fins lucrativos para solucionar seus problemas com a água. Israel oferece treinamento sobre gestão de águas e irrigação aos vizinhos palestinos e jordanianos e a mais de 100 países em desenvolvimento, sendo 29 deles na África.

“Israel ganhou amplo conhecimento sobre o uso da água em praticamente todos os níveis e é uma história muito interessante”, afirma Siegel ao ISRAEL21c. “Fiquei em um estado de exaltação positiva por contar uma história desconhecida e ao mesmo tempo me sentir inspirado. Foi uma reafirmação dos motivos de Israel ser tão especial.”

Conforme informou, a Califórnia já está em contato com especialistas israelenses de água e agricultura, e a empresa IDE Technologies de Israel está construindo uma unidade de dessalinização na Califórnia, que será a maior do hemisfério ocidental, gerando 190 milhões de litros de água por dia.

“A Califórnia fez o que os países com problemas com água já estão fazendo há décadas: buscou parceria e ajuda com Israel”, escreveu Siegel.

“Com a crise mundial da água se aproximando, o posicionamento de Israel ao tomar medidas ousadas pode ser a contribuição mais importante de uma filosofia voltada para a água em um mundo cada vez mais sedento.”

Siegel imediatamente começou a pesquisar na Internet para descobrir se algum país tinha políticas sólidas de gestão de água.

“Vi que Israel tinha um sistema de água muito sofisticado. Fiquei chocado, porque vou a Israel várias vezes ao ano e não sabia disso. Comecei a falar sobre isso aos meus amigos e todo mundo dizia: ‘Você só pode estar brincando’. Ninguém sabia que Israel era tão inteligente quando o assunto é água. Então, achei que era uma história que valia a pena contar.”

Superpotência de água

Os leitores que ele espera atingir estão distribuídos em diversas categorias: ativistas ambientais, responsáveis pela criação de políticas públicas, representantes eleitos, cidadãos preocupados e chefes de organizações não governamentais. “O capítulo sobre o negócio da água pode interessar a investidores para que possam entender as enormes oportunidades que existem nessa área”, acrescenta.

O livro apresenta um quadro bastante claro do clássico posicionamento de Israel em assumir riscos, pensar fora da caixa, investir pesado em pesquisa e desenvolvimento e se recusar a aceitar que algo é impossível.

“Israel é uma superpotência da água”, escreve Siegel. “Graças a décadas de planejamento e sacrifícios, todos em Israel hoje recebem água segura na medida que desejam, desde que possam pagar por isso. O país se beneficia de leis inteligentes sobre o uso da água. Israel tem um grande quadro de reguladores altamente qualificados e gestores de serviços públicos. E devido aos avanços tecnológicos introduzidos por professores, cientistas e empresários israelenses, a segurança em termos de água em Israel está crescendo.”

As entrevistas feitas por Siegel revelaram que apesar da geopolítica complicada, as relações comerciais entre Israel e os chamados países inimigos são bastante fortes.

“Se as pessoas forem inteligentes, a água vencerá a política”, afirma o autor . “As pessoas acabam chegando a conclusões pragmáticas, mas a questão é quanto será preciso sofrer para chegar a essas conclusões.”

Leia a reportagem completa em Israel21C


Para conhecer mais as tecnologias de água que Israel oferece,  ocorrerá em Tel Aviv nos dias 13 a 15 de outubro uma das maiores feiras de tecnologias de água do mundo, a WATEC 2015.

Levaremos uma delegação Brasileira para o evento e também preparamos uma agenda de visitas técnicas para os participantes da delegação comercial que visitará Israel para a feira.

Para mais informações sobre a WATEC entre em contato com:  

Missão Econômica de Israel em São Paulo – (11) 3095-3111

Ana Claudia B. Felisardo – [email protected]

watec 2