Por que os investidores estão apostando nas tecnologias agrícolas israelenses

As lideranças de Venture Capital (capital de risco) que estão se concentrando nas tecnologias agrícolas de Israel dizem que esse é um solo fértil para se investir.

Como é que um mundo de bilhões se alimentará de forma sustentável no futuro? Agtech — tecnologias agrícolas — são a chave. E Israel está liderando muito dessa inovação, de pesticidas não tóxicos a sementes de alta produtividade, a sensores que dizem aos agricultores quando as plantas estão com sede.

Gideon Soesman, 44 anos, está apostando nas tecnologias agrícolas como o próximo ecossistema de grandes investimentos. Soesman – um holandês que facilitou a aquisição de US$ 700 milhões da Avent pela Royal Philips Electronics em 2006, quando ele era o diretor sênior de fusões e aquisições da Philips – hoje comanda a GreenSoil Investments em Ra’anana, a norte de Tel Aviv.

Esta empresa de venture capital investe apenas em tecnologias agrícolas e alimentícias — e sim, diz ele, as pessoas achavam que ele estava completamente louco três anos atrás quando declarou a sua ordem.

“Há esta coisa macro acontecendo”, explica Soesman. “Em breve, haverá nove bilhões de pessoas que precisarão comer. Não há comida suficiente, terra suficiente, e precisamos de tecnologias para suprir esta falta. Israel é líder em tecnologias agrícolas e alimentícias e possui um ecossistema desenvolvido de investimento em alta tecnologia, mas percebi que ninguém estava se concentrando em investir nesse área”.

Até a presente data, a GreenSoil levantou mais de US$ 30 milhões e investiu metade disso.

Leia a reportagem completa em Israel21c

Leia também: Desafios da pós-colheita e segurança alimentar serão discutidos em grande evento agrícola de Israel