Competição celebra seis grandes mulheres da AgriFood Nation

A startup para proteção de lavouras e alimentos Biotipac, liderada pela empreendedora Ifat Hammer, venceu o segundo prêmio anual Women of Agrifood Nation, realizada no dia 06 de junho de 2021 em Tel Aviv, Israel.

O prêmio é um investimento de 200 mil dólares da co-fundadora da competição, o COPIA Agro & Food Technologies Fund  de Herzliya.  O propósito da competição, de acordo com diretor da COPIA Ohad Zukerman, é aumentar a atenção e exposição de negócios tecnológicos liderados por mulheres nos setores agro e de alimentos, e promover investimentos nestas empreitadas.

De acordo com Zukerman, “sessenta e cinco porcento dos programas nestes setores em nosso portfolio que originam de instituições de pesquisa israelenses são lideradas por mulheres, enquanto apenas algumas das startups que encontramos possuem estas características”. Neste sentido, “COPIA se vê como líder na promoção da igualdade de gênero no setor de negócios, que pode e deve liderar mudanças”.

Complementa Carmit Oron, CEO da co-fundadora da competição ACT FoodTech hub de Tel Aviv, que em 2021 apenas 11 dos 106 fundos de capital do segmento incluem mulheres em seus times de investidores. Para Oron, “a probabilidade de um fundo que tenha uma sócia feminina investir em uma empresa cuja CEO seja mulher é três maior, motivo pelo qual precisamos de mulheres em posições decisórias”.

A vencedora, Biotipac, está desenvolvendo uma tecnologia probiótica para estender a validade de comidas frescas, da colheita ao mercado.

As outras cinco finalistas foram:

Maolac, liderada pela engenheira biomédica Maya Ashkenazi Otmezgin. Ela descobriu que o colostro bovino – geralmente descartado por produtores – possui centenas de proteínas com 95% de biossimilaridade a proteínas do leite materno humano. Maolac está desenvolvendo uma plataforma de enriquecimento de proteínas para tornar o colostro em suplementos para dietas e aditivos para alimentos com propriedades altamente biodisponíveis, iniciando com uma mistura anti-inflamatória para atletas;

IncrediBowl, dirigida por Adi Polak, que cria talheres e outros implementos de cozinha compostáveis, começando por copos para doses;

– Yo-egg, desenvolvida por Yosefa Ben Cohen, que está desenvolvendo um análogo a ovos baseado em plantas com os mesmos benefícios nutrientes de ovos de galinha, mas sem colesterol. Trará “gema” e “clara” já em processo de patente, para tornar ovos fritos veganos uma realidade.

– Fermata, de Valeria Cogan, que propõe uma solução de câmera que utiliza inteligência artificial e machine learning para monitorar doenças de plantas em estufas;

– BugEra por Anna Malkov, focada em novas variantes de moscas-soldado-negro com alto conteúdo de óleo que convertem esterco orgânico em alimento e biodiesel.

Fonte: Israel21C